domingo, 18 de novembro de 2018

Os meus livros #76 - A Festa da Insignificância (Milan Kundera)

 
Sinopse 


Aclamado em França e em Itália, este é o muito esperado novo romance do autor de A Insustentável Leveza do Ser, Milan Kundera, que regressa à ficção ao fim de treze anos.
Lançar luz sobre os problemas mais sérios e, ao mesmo tempo, não proferir uma única frase séria, estar fascinado pela realidade do mundo contemporâneo e, ao mesmo tempo, evitar qualquer realismo, eis A Festa da Insignificância, onde o riso, inspirado na nossa época, é cómico porque perdeu todo o seu sentido de humor.
Um surpreendente romance que coloca em cena quatro amigos parisienses que vivem numa deriva inócua, característica de uma existência contemporânea esvaziada de sentido e que que pode ser visto como um resumo de toda a obra de Kundera.





Milan Kundera surpreende sempre, A Festa da Insignificância faz-nos sentir não mais que uma insignificância sem fim.

Os meus Livros #75 - Tão veloz como o desejo (Laura Esquivel)

Sinopse
Júbilo veio ao mundo com um imenso sorriso e o dom de ouvir as palavras que habitam no coração das pessoas que o rodeiam. Era ainda menino e – ao servir de intérprete entre a avó, orgulhosa representante do povo Maia, e a mãe, de língua espanhola – já adoçava as palavras amargas que ambas trocavam, conseguindo que desse ódio nascesse respeito e amor.
No México dos anos vinte, Júbilo é já um homem e trabalha como telegrafista, ocupação que lhe permite fazer bom uso do seu Dom, pois continua a ajudar as pessoas a revelarem o que lhes vai na alma, reescrevendo as mensagens que enviam. A felicidade plena chega quando Júbilo conhece Lucha, por quem se apaixona perdidamente. Enfeitiçados um pelo outro, casam e vivem uma vida de sonho.
Muitos anos passados, o telégrafo está abandonado, obsoleto que é como forma de comunicação; e Júbilo, solitário no seu leito de morte, onde jaz cego e mudo, sofre ainda com a tragédia que um dia o afastou da mulher, o seu grande e único amor.
Que acontecimento trágico poderá ter-se interposto entre os dois amantes, provocando um dano tão irreparável?
Mas Luvia, a filha de ambos, nascida já após essa inexplicável tragédia familiar, não vai descansar enquanto não desenterrar o fantasma do passado e desvendar o que está por detrás dessa história de paixão e amargura.



Tão bom, tão bom, tão bom.

sábado, 17 de novembro de 2018

Os meus (E)Livros #74 - A culpa é das estrelas (John Green)

Sinopse 

Apesar do milagre da medicina que fez diminuir o tumor que a atacara há alguns anos, Hazel nunca tinha conhecido outra situação que não a de doente terminal, sendo o capítulo final da sua vida parte integrante do seu diagnóstico. Mas com a chegada repentina ao Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro de uma atraente reviravolta de seu nome Augustus Waters, a história de Hazel vê-se agora prestes a ser completamente reescrita.


PERSPICAZ, ARROJADO, IRREVERENTE E CRU, A Culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e comovente que o premiado autor John Green nos apresentou até hoje, explorando de maneira brilhante a aventura divertida, empolgante e trágica que é estar-se vivo e apaixonado.


Críticas de imprensa
«John Green não é apenas um autor. É uma vedeta da multimédia que se apresenta perante auditórios de mil lugares de fãs aos gritos.»
Los Angeles Times


Penso que este livro marcará cada pessoa de uma forma diferente, só a experiência de vida e a personalidade de cada fará diferença na forma como o lemos.

Os meus Livros #73- Pelos Céus da China (C. Hope Flinchbaugh)

Sinopse
Neste livro, pela mão da escritora norte-americana C. Hope Flinchbaugh, redigido com uma apaixonante escrita, onde os factos reais são superiormente conjugados coma ficção, é-nos relatado com paixão a admirável resistência e provas de fé com que os cristãos chineses marcam o seu quotidiano, num país em que as suas crenças e ideais religiosos são argumentos para uma existência atribulada e árdua, confrontando-se com inúmeras dificuldades impostas por grupos e seitas, e pela própria conduta de um regime governamental que, apesar de se considerar a cada momento mais liberal e tolerante, é responsável ainda por incontornáveis paradoxos a nível social, neste caso não reconhecendo o Cristianismo como religião.
Pela mão da autora, mediante a sua vasta experiência pessoal vivida junto da sociedade chinesa durante largos períodos em que permaneceu no país mais populoso do mundo, são-nos dados a conhecer os relatos a que teve acesso junto de líderes cristãos, onde se destacam as diferenças do cristianismo chinês face ao ocidental, fruto de uma visão do mundo distinta e em campos tão abrangentes como a cosmologia, a teologia e os padrões sociais de uma sociedade que interpreta a vida através do olhar de uma cultura milenar. Em paralelo com o tema central do romance, acompanhamos a vida de uma jovem rapariga cristã, que imbuída de uma profunda fé nos leva numa viagem ao seu mundo, marcado pela mão pesada que infligiu a sua vida, mercê das suas convicções.



Completamente surpreendente para quem vive num mundo livre.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Talvez tenha chegado a hora de fazer AQUELA promessa

Conto, à hora em que escrevo este post, setenta e nove livros para ler a seguir em minha casa. Olho para a pilha e acho sempre que nunca chegam, preciso sempre de mais um, e de outro e de ainda mais um. Setenta e nove livros para ler a seguir, talvez tenha chegado a hora de fazer aquela famosa promessa que consiste em "não compro mais livros até ler todos aqueles que tenho" ou pelo menos "não compro mais livros até ao final do ano". Setenta e nove livros para ler a seguir, talvez tenha chegado a hora de comprar mais um, ou mais meia dúzia.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Bom dia

Desço o elevador e tiro o carro da garagem, deixo-o abandonado e atravesso a rua, estou sempre atrasada, ou porque adormeci, ou porque tinha roupa para tirar da máquina, ou porque me atrasei a preparar os lanches, ou porque as gatas fizeram alguma asneira durante a noite que eu ainda tive de resolver. Apresada entro na pastelaria e... Bom dia menina, já tenho aqui o seu pãozinho pronto, escolhi o mais branquinho como você gosta. Agradeço, agradeço imenso e saio com um sorriso, às vezes basta um pãozinho de cereais com manteiga para nos fazer mais felizes, às vezes basta saberem exactamente aquilo que queremos.

domingo, 11 de novembro de 2018

Os meus (E)Livros #72 - Cidade sem Alma (Ransom Riggs)

Sinopse
Jacob Portman chegou ao Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares em busca de respostas para a misteriosa morte do seu avô - mas encontrou ainda mais mistérios…
Depois de viajar no tempo até 1940, Jacob conhece as crianças peculiares - rapazes e raparigas com poderes sobrenaturais -, e a senhora Peregrine, que toma conta delas e as protege das perigosas criaturas que parecem determinadas a exterminá-las. Quando o lar é destruído e a senhora Peregrine fica em perigo, Jacob, com os seus recém-descobertos poderes, junta-se aos seus novos amigos para tentarem salvá-la. Contudo, as ruas de Londres durante a Segunda Guerra Mundial não são nada seguras para um grupo de crianças sozinhas…
A aventura d'O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares continua em Cidade sem Alma, onde Jacob e os seus amigos têm de enfrentar desafios inimagináveis para se salvarem.
Críticas de imprensa
«Um clássico dos nossos dias, comparável a O Feiticeiro de Oz e As Crónicas de Narnia
Justine

«Que livro fantástico!»
USA Today

«Cidade sem Alma combina a fantasia e o terror num mundo que vai cativar os leitores e deixá-los ansiosos por ler mais aventuras destas peculiares crianças.»
ShelfAwareness

«Uma aventura imperdível.»
Kirkus Reviews

«Ransom Riggs cria aqui um mundo refrescantemente original, cheio de personagens tão adoráveis quanto bizarras, com um estilo cativante.»
Library Journal


As coisas que se encontram para ler Online - Parte 4. Tal como o primeiro livro da série este termina de forma tão surpreendente que nos obriga a querer ler o próximo.

Os meus (E)Livros #71 - O orfanato da Senhora Peregrine para crianças peculiares (Ransom Riggs)



Sinopse 

Uma ilha misteriosa. Uma casa abandonada. Uma estranha coleção de fotografias peculiares. Uma terrível tragédia familiar leva Jacob, um jovem de dezasseis anos, a uma ilha remota na costa do País de Gales, onde encontra as ruínas do lar para crianças peculiares, criado pela senhora Peregrine. Ao explorar os quartos e corredores abandonados, apercebe-se de que as crianças do lar eram mais do que apenas peculiares; podiam também ser perigosas. É possível que tivessem sido mantidas enclausuradas numa ilha quase deserta por um bom motivo. E, por incrível que pareça, podem ainda estar vivas…

Um romance arrepiante, ilustrado com fantasmagóricas fotografias vintage, que fará as delícias de adultos, jovens e todos aqueles que apreciam o suspense.




As coisas que se encontram para ler Online - Parte 3. Fantasia não é de todo a minha praia, de qualquer forma deixou-me curiosa para ler a continuação.

sábado, 10 de novembro de 2018

Os meus Livros #70 - A vida em surdina (David Lodge)



Sinopse 

Quando decide pedir a reforma antecipada, o professor universitário Desmond Bates nunca pensou vir a sentir saudades da azáfama das aulas. A verdade é que a monotonia do dia-a-dia não o satisfaz. Para tal contribui também o facto de a carreira da sua mulher, Winifred, ir de vento em popa, reduzindo o papel de Desmond ao de mero acompanhante e dono de casa. Mas o que o aborrece verdadeiramente é a sua crescente perda de audição, fonte constante de atrito doméstico e constrangimento social. Desmond apercebe-se de que, na imaginação das pessoas, a surdez é cómica, enquanto a cegueira é trágica, mas para o surdo é tudo menos uma brincadeira. Contudo, vai ser a sua surdez que o levará a envolver-se, inadvertidamente, com uma jovem cujo comportamento imprevisível e irresponsável ameaça desestabilizar por completo a sua vida.





Por motivos pessoais quis muito ler este livro sobre a surdez, óptimo no sentido de nos explicar determinadas situações e nos alertar para as confusões possíveis, apesar de eu achar que falaria mais da surdez, demasiados pormenores sobre o restante da vida do personagem principal. 

Os meus Livros #69 - A lição de anatomia (Philip Roth)



Sinopse 



Aos quarenta anos, o escritor Nathan Zuckerman é acometido de um mal misterioso - uma simples dor, que começa no pescoço e nos ombros, invade o tórax e toma conta do espírito. Zuckerman, que vivia para o seu trabalho, não consegue escrever uma única linha. Agora, o seu trabalho consiste em arrastar-se de médico em médico, mas nenhum descobre a causa da dor e ninguém consegue mitigá-la. Zuckerman começa a pensar na hipótese de a dor ser causada pelos livros que escreve. E enquanto pensa, a sua dependência dos analgésicos estende-se à vodca e à marijuana.






A lição de anatomia dá-nos uma lição de e nova perspectiva da vida.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Livros sem fim

Os livros que não nos deixam um final claro são livros sem fim, são livros para sempre, são livros que nos deixam um milhão de possibilidades na cabeça e que por muito tempo que passe desde que os fechamos pela última vez ficam eternamente marcados na nossa mente, a nossa imaginação é ilimitada e os livros que não nos deixam um final claro também. Os livros sem fim são aqueles que deixam no ar páginas e páginas em branco para cada um dos leitores preencher com pedaços seus, são aqueles que deixam no destino incontáveis caminhos a percorrer. São livros para sempre, são livros do leitor, são livros que deixam um vazio.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Querido diário

Para escrever é necessário que se observe a vida e o mundo. Não basta olhar, é preciso mergulhar em cada visão, é preciso absorver cada pormenor.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Glória

Glória trilhará comigo os maus caminhos da vida. Glória subirá comigo as montanhas mais íngremes. Glória descerá comigo as inclinações mais brutais e mais técnicas. Glória percorrerá comigo milhares e milhares de quilómetros. Glória fará comigo longos Caminhos. Glória atingirá comigo grandes metas. Glória fará parte dos meus planos. Glória pousará comigo para as melhores fotos. Glória fará maratonas, passeios, viagens e muito mais. Glória acompanhará grandes aventuras minhas. Glória será a minha companheira na dor e nas vitórias. Glória será sempre uma paixão, porque Glória foi sonhada e realizada à minha imagem. Glória e eu seremos muito felizes juntas.