sábado, 17 de novembro de 2018

Os meus (E)Livros #74 - A culpa é das estrelas (John Green)

Sinopse 

Apesar do milagre da medicina que fez diminuir o tumor que a atacara há alguns anos, Hazel nunca tinha conhecido outra situação que não a de doente terminal, sendo o capítulo final da sua vida parte integrante do seu diagnóstico. Mas com a chegada repentina ao Grupo de Apoio dos Miúdos com Cancro de uma atraente reviravolta de seu nome Augustus Waters, a história de Hazel vê-se agora prestes a ser completamente reescrita.


PERSPICAZ, ARROJADO, IRREVERENTE E CRU, A Culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e comovente que o premiado autor John Green nos apresentou até hoje, explorando de maneira brilhante a aventura divertida, empolgante e trágica que é estar-se vivo e apaixonado.


Críticas de imprensa
«John Green não é apenas um autor. É uma vedeta da multimédia que se apresenta perante auditórios de mil lugares de fãs aos gritos.»
Los Angeles Times


Penso que este livro marcará cada pessoa de uma forma diferente, só a experiência de vida e a personalidade de cada fará diferença na forma como o lemos.

Os meus Livros #73- Pelos Céus da China (C. Hope Flinchbaugh)

Sinopse
Neste livro, pela mão da escritora norte-americana C. Hope Flinchbaugh, redigido com uma apaixonante escrita, onde os factos reais são superiormente conjugados coma ficção, é-nos relatado com paixão a admirável resistência e provas de fé com que os cristãos chineses marcam o seu quotidiano, num país em que as suas crenças e ideais religiosos são argumentos para uma existência atribulada e árdua, confrontando-se com inúmeras dificuldades impostas por grupos e seitas, e pela própria conduta de um regime governamental que, apesar de se considerar a cada momento mais liberal e tolerante, é responsável ainda por incontornáveis paradoxos a nível social, neste caso não reconhecendo o Cristianismo como religião.
Pela mão da autora, mediante a sua vasta experiência pessoal vivida junto da sociedade chinesa durante largos períodos em que permaneceu no país mais populoso do mundo, são-nos dados a conhecer os relatos a que teve acesso junto de líderes cristãos, onde se destacam as diferenças do cristianismo chinês face ao ocidental, fruto de uma visão do mundo distinta e em campos tão abrangentes como a cosmologia, a teologia e os padrões sociais de uma sociedade que interpreta a vida através do olhar de uma cultura milenar. Em paralelo com o tema central do romance, acompanhamos a vida de uma jovem rapariga cristã, que imbuída de uma profunda fé nos leva numa viagem ao seu mundo, marcado pela mão pesada que infligiu a sua vida, mercê das suas convicções.



Completamente surpreendente para quem vive num mundo livre.

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Talvez tenha chegado a hora de fazer AQUELA promessa

Conto, à hora em que escrevo este post, setenta e nove livros para ler a seguir em minha casa. Olho para a pilha e acho sempre que nunca chegam, preciso sempre de mais um, e de outro e de ainda mais um. Setenta e nove livros para ler a seguir, talvez tenha chegado a hora de fazer aquela famosa promessa que consiste em "não compro mais livros até ler todos aqueles que tenho" ou pelo menos "não compro mais livros até ao final do ano". Setenta e nove livros para ler a seguir, talvez tenha chegado a hora de comprar mais um, ou mais meia dúzia.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Bom dia

Desço o elevador e tiro o carro da garagem, deixo-o abandonado e atravesso a rua, estou sempre atrasada, ou porque adormeci, ou porque tinha roupa para tirar da máquina, ou porque me atrasei a preparar os lanches, ou porque as gatas fizeram alguma asneira durante a noite que eu ainda tive de resolver. Apresada entro na pastelaria e... Bom dia menina, já tenho aqui o seu pãozinho pronto, escolhi o mais branquinho como você gosta. Agradeço, agradeço imenso e saio com um sorriso, às vezes basta um pãozinho de cereais com manteiga para nos fazer mais felizes, às vezes basta saberem exactamente aquilo que queremos.

domingo, 11 de novembro de 2018

Os meus (E)Livros #72 - Cidade sem Alma (Ransom Riggs)

Sinopse
Jacob Portman chegou ao Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares em busca de respostas para a misteriosa morte do seu avô - mas encontrou ainda mais mistérios…
Depois de viajar no tempo até 1940, Jacob conhece as crianças peculiares - rapazes e raparigas com poderes sobrenaturais -, e a senhora Peregrine, que toma conta delas e as protege das perigosas criaturas que parecem determinadas a exterminá-las. Quando o lar é destruído e a senhora Peregrine fica em perigo, Jacob, com os seus recém-descobertos poderes, junta-se aos seus novos amigos para tentarem salvá-la. Contudo, as ruas de Londres durante a Segunda Guerra Mundial não são nada seguras para um grupo de crianças sozinhas…
A aventura d'O Lar da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares continua em Cidade sem Alma, onde Jacob e os seus amigos têm de enfrentar desafios inimagináveis para se salvarem.
Críticas de imprensa
«Um clássico dos nossos dias, comparável a O Feiticeiro de Oz e As Crónicas de Narnia
Justine

«Que livro fantástico!»
USA Today

«Cidade sem Alma combina a fantasia e o terror num mundo que vai cativar os leitores e deixá-los ansiosos por ler mais aventuras destas peculiares crianças.»
ShelfAwareness

«Uma aventura imperdível.»
Kirkus Reviews

«Ransom Riggs cria aqui um mundo refrescantemente original, cheio de personagens tão adoráveis quanto bizarras, com um estilo cativante.»
Library Journal


As coisas que se encontram para ler Online - Parte 4. Tal como o primeiro livro da série este termina de forma tão surpreendente que nos obriga a querer ler o próximo.

Os meus (E)Livros #71 - O orfanato da Senhora Peregrine para crianças peculiares (Ransom Riggs)



Sinopse 

Uma ilha misteriosa. Uma casa abandonada. Uma estranha coleção de fotografias peculiares. Uma terrível tragédia familiar leva Jacob, um jovem de dezasseis anos, a uma ilha remota na costa do País de Gales, onde encontra as ruínas do lar para crianças peculiares, criado pela senhora Peregrine. Ao explorar os quartos e corredores abandonados, apercebe-se de que as crianças do lar eram mais do que apenas peculiares; podiam também ser perigosas. É possível que tivessem sido mantidas enclausuradas numa ilha quase deserta por um bom motivo. E, por incrível que pareça, podem ainda estar vivas…

Um romance arrepiante, ilustrado com fantasmagóricas fotografias vintage, que fará as delícias de adultos, jovens e todos aqueles que apreciam o suspense.




As coisas que se encontram para ler Online - Parte 3. Fantasia não é de todo a minha praia, de qualquer forma deixou-me curiosa para ler a continuação.

sábado, 10 de novembro de 2018

Os meus Livros #70 - A vida em surdina (David Lodge)



Sinopse 

Quando decide pedir a reforma antecipada, o professor universitário Desmond Bates nunca pensou vir a sentir saudades da azáfama das aulas. A verdade é que a monotonia do dia-a-dia não o satisfaz. Para tal contribui também o facto de a carreira da sua mulher, Winifred, ir de vento em popa, reduzindo o papel de Desmond ao de mero acompanhante e dono de casa. Mas o que o aborrece verdadeiramente é a sua crescente perda de audição, fonte constante de atrito doméstico e constrangimento social. Desmond apercebe-se de que, na imaginação das pessoas, a surdez é cómica, enquanto a cegueira é trágica, mas para o surdo é tudo menos uma brincadeira. Contudo, vai ser a sua surdez que o levará a envolver-se, inadvertidamente, com uma jovem cujo comportamento imprevisível e irresponsável ameaça desestabilizar por completo a sua vida.





Por motivos pessoais quis muito ler este livro sobre a surdez, óptimo no sentido de nos explicar determinadas situações e nos alertar para as confusões possíveis, apesar de eu achar que falaria mais da surdez, demasiados pormenores sobre o restante da vida do personagem principal. 

Os meus Livros #69 - A lição de anatomia (Philip Roth)



Sinopse 



Aos quarenta anos, o escritor Nathan Zuckerman é acometido de um mal misterioso - uma simples dor, que começa no pescoço e nos ombros, invade o tórax e toma conta do espírito. Zuckerman, que vivia para o seu trabalho, não consegue escrever uma única linha. Agora, o seu trabalho consiste em arrastar-se de médico em médico, mas nenhum descobre a causa da dor e ninguém consegue mitigá-la. Zuckerman começa a pensar na hipótese de a dor ser causada pelos livros que escreve. E enquanto pensa, a sua dependência dos analgésicos estende-se à vodca e à marijuana.






A lição de anatomia dá-nos uma lição de e nova perspectiva da vida.

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

Livros sem fim

Os livros que não nos deixam um final claro são livros sem fim, são livros para sempre, são livros que nos deixam um milhão de possibilidades na cabeça e que por muito tempo que passe desde que os fechamos pela última vez ficam eternamente marcados na nossa mente, a nossa imaginação é ilimitada e os livros que não nos deixam um final claro também. Os livros sem fim são aqueles que deixam no ar páginas e páginas em branco para cada um dos leitores preencher com pedaços seus, são aqueles que deixam no destino incontáveis caminhos a percorrer. São livros para sempre, são livros do leitor, são livros que deixam um vazio.

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Querido diário

Para escrever é necessário que se observe a vida e o mundo. Não basta olhar, é preciso mergulhar em cada visão, é preciso absorver cada pormenor.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Glória

Glória trilhará comigo os maus caminhos da vida. Glória subirá comigo as montanhas mais íngremes. Glória descerá comigo as inclinações mais brutais e mais técnicas. Glória percorrerá comigo milhares e milhares de quilómetros. Glória fará comigo longos Caminhos. Glória atingirá comigo grandes metas. Glória fará parte dos meus planos. Glória pousará comigo para as melhores fotos. Glória fará maratonas, passeios, viagens e muito mais. Glória acompanhará grandes aventuras minhas. Glória será a minha companheira na dor e nas vitórias. Glória será sempre uma paixão, porque Glória foi sonhada e realizada à minha imagem. Glória e eu seremos muito felizes juntas.

domingo, 4 de novembro de 2018

Os meus Livros #68 - O Fim da Aventura (Graham Greene)




Sinopse 

A relação amorosa do romancista Maurice Bendrix com Sarah Miles inicia-se nos tempos turbulentos do Blitz, em Londres. Mas, um dia, sem explicação, Sarah termina abruptamente a ligação entre ambos. Parecia impossível que pudesse existir um rival no coração de Sarah, mas mesmo assim, dois anos depois, levado por um ciúme e uma dor obsessivos, Bendrix contrata um detetive privado, Parkis, para a seguir e descobrir a verdade.

Esta absorvente e misteriosa história de uma aventura amorosa e do seu místico fim, contada de forma magistral por Graham Greene, foi adaptada ao cinema por Neil Jordan, com Ralph Fiennes, Julianne Moore e Stephen Rea nos principais papéis.




Este livro, sobre amor e paixões abre-nos a porta para os grandes dilemas e o sentido da vida.

sábado, 3 de novembro de 2018

Os meus (E)Livros #67 - As vantagens de ser invisível (Stephen Chboski)

Sinopse
Charlie tem 15 anos e ainda sonha com o primeiro beijo. Tímido, introvertido, não tem qualquer amigo. Acaba de entrar no décimo ano e já conta os dias que lhe faltam para acabar o secundário. Olha à sua volta e sabe que não pertence a nenhum grupo. É apenas um miúdo sensível, com uma inteligência superior à média, dividido entre viver a vida ou fugir dela. na dúvida, prefere ser invisível, como uma flor no papel de parede, que está lá mas em quem ninguém repara.

Não se vai manter invisível durante muito tempo. Sente a pressão do primeiro encontro, da primeira namorada. em seu redor há festas, sexo, drogas e um suicídio que o marca para sempre. Mas há também Sam, uma finalista por quem se apaixona perdidamente. e o meio-irmão dela, Pat, que é homossexual mas ninguém sabe. Os dois vão acolher Charlie, iniciá-lo num mundo de descobertas, guiá-lo ao longo dos misteriosos anos da adolescência.

As Vantagens de Ser Invisível, de Stephen Chbosky, é uma obra de enorme ternura, por vezes cruel, e sempre de uma sinceridade desarmante. Charlie abre-se ao leitor, revela os seus medos, angústias e o terrível segredo que o acompanha desde a infância.

Várias vezes premiado, e também censurado em algumas escolas e bibliotecas dos Estados Unidos, foi adaptado ao cinema pelo próprio autor, num filme da MTV, com Logan Lerman, Emma Watson e Ezra Miller nos principais papéis.



As coisas que se encontram para ler Online - Parte 2. Para mim, as desvantagens de ser invisível.

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Os meus livros #66 - Nunca me deixes (Kazuo Ishiguro)

Sinopse

Kazuo Ishiguro foi elogiado no Sunday Times por «ampliar as possibilidades da ficção». Em "Nunca Me Deixes", que se encontra certamente entre as suas melhores obras, conta-nos uma extraordinária história de amor, perda e verdades escondidas.
Kathy, Ruth e Tommy cresceram em Hailsham – um colégio interno idílico situado algures na província inglesa. Foram educados com esmero, cuidadosamente protegidos do mundo exterior e levados a crer que eram especiais. Mas o que os espera para além dos muros de Hailsham? Qual é, de facto, a sua razão de ser?
Só vários anos mais tarde, Kathy, agora uma jovem mulher de 31 anos, se permite ceder aos apelos da memória. O que se segue é a perturbadora história de como Kathy, Ruth e Tommy enfrentam aos poucos a verdade sobre uma infância aparentemente feliz — e sobre o futuro que lhes está destinado. Nunca Me Deixes é um romance profundamente comovedor, atravessado por uma percepção singular da fragilidade da vida humana.

Críticas de imprensa

«(...) a verdade é que este livro não é, apesar dos clones, seus protagonistas, nem estapafúrdio, nem reduzível a ficção científica (se é que essa categoria é, como alguns defendem, artisticamente inferior). Em poucas palavras, Ishiguro procura explorar, através das figuras de Kathy, Ruth e Tommy (são eles os referidos clones, concebidos como meros doadores de órgãos), as fronteiras do humano. E fá-lo de uma maneira muito curiosa, usando como lupa coisas das mais humanas que os humanos podem ter: recordações da infância, sentimentos, impulsos artísticos, traumas, segredos. Será que estes clones têm alma?» Humberto Brito

«Já considerado como a sua melhor obra depois de 'Os Despojos do Dia' o livro 'Nunca me Deixes' foi anunciado como um dos seis finalistas do Prémio Booker deste ano. [...] O registo, em tom de 'thriller' contemporâneo pode estar longe do dos mais conhecidos romances históricos de Ishiguro, mas as questões são as mesmas: a solidão, o desajuste em relação ao mundo e a recusa em encarar uma realidade dura mas por demais evidente.» Vanessa Rato, Público, Mil Folhas

«Certamente a sua obra mais comovedora e marcante.» Los Angeles Times Book Review




Tão bom que devia ser obrigatório. Comovedor. Lindo. 

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Os meus (E)Livros #65 - Tudo, Tudo e Nós (Nicola Yoon)

Sinopse

Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira - até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior - mesmo que isso ponha a sua vida em risco. Nicola Yoon escreveu um livro comovente com uma mensagem para leitores de todas as idades.

Críticas de imprensa

«Não o consegui pousar. Perfeito para quem gostou de A Culpa É das Estrelas ou de Se Eu Ficar.» theguardian.com

«Esta história comovente vai além do habitual ao explorar a fundo as esperanças, os sonhos e os riscos inerentes ao amor.»
Kirkus Reviews

«A nova obsessão dos fãs de YA.»
MTV.com

«Encantador e poético.»
The New York Times




As coisas que se encontram para ler Online - Parte 1. Muito fácil e muito básico.

domingo, 28 de outubro de 2018

Os meus livros#64 - Beber, Jogar, Foder (Andrew Gottlieb)

Sinopse
O que é que um homem pode fazer quando oito anos de um casamento sólido e feliz culminam num divórcio amargo e litigioso? Como é que um homem assim pode redescobrir a sua virilidade, depois de anos de serões culturais, workshops de culinária e tardes de fim-de-semana passados às compras com a mulher? Só há uma solução: Beber, jogar e… bom, divertir-se o mais possível. Bob Sullivan era um marido fiel e dedicado até ter sido bruscamente abandonado pela mulher. Farto de ser o bom da fita, Bob decide gastar o dinheiro que lhe sobra (entre as contas do advogado e a pensão de alimentos) a viajar pelo mundo, a divertir-se e a dar cabo de alguns neurónios. Deixa a sua casa em Nova Iorque para ir beber até cair para o lado, na Irlanda, jogar dia e noite nos melhores (e piores!) casinos, em Las Vegas, e deliciar-se com os prazeres (não culinários) da carne na Tailândia. Depois de uma vida inteira a ser responsável, seguro e previsível, Bob decide entregar-se às suas fantasias mais loucas. Afinal, qual de nós nunca sonhou entrar num concurso de atirar facas à porta de um pub em Dublin? E o que poderá ser mais excitante do que ganhar uma fortuna num jogo de cartas para a perder logo a seguir com uma aposta completamente descabida num jogo de futebol? E quem sabe que prazeres se poderão desvendar numa cabana tropical nas profundezas de uma floresta tailandesa? Beber, Jogar, F*der é uma narrativa surpreendente, cheia de humor e deveras inspiradora, que revela como as mais profundas transformações espirituais também podem advir de comportamentos menos espirituais!
Críticas de imprensa
«Uma sátira incrivelmente divertida e irreverente.»
Publishers Weekly

«Andrew Gottlieb tem um talento natural para a comédia.»
Metro

«Uma análise muito divertida daquilo que os homens realmente querem na vida. Conta a história de Bob Sullivan, um trintão nova-iorquino acabado de sair de um divórcio doloroso que, após vários anos de tranquilidade doméstica, decide partir à descoberta do mundo. A sua viagem leva-o (e ao leitor) a apanhar grandes bebedeiras na Irlanda, a lançar dados em Las Vegas e à Tailândia para… bem, desfrutar dos prazeres do sexo oposto. A descoberta que Bob faz no fim da sua epopeia, contudo, é tão surpreendente quanto inspiradora.»
Angeles Times
 
 
 
Li este livro há muitos anos atrás e só me lembrava de ter rido muito, depois de o emprestar recentemente a um amigo fiquei com vontade de reler, culpa do comentário que ele fez quando o devolveu, mas desta vez achei o livro uma seca. 

sábado, 27 de outubro de 2018

Os meus livros #63 - Trono de Vidro (Sarah J. Maas)



Sinopse



Numa terra em que a magia foi banida e em que o rei governa com mão de ferro, uma assassina é chamada ao castelo. Ela vai, não para matar o rei, mas para conquistara sua própria liberdade. Se derrotar os vinte e três oponentes em competição, será libertada da prisão para servir a Coroa com o estatuto de campeão do rei - o assassino do rei. O seu nome é Celaena Sardothien. O príncipe herdeiro vai provocá-la. O capitão da Guarda vai protegê-la. Mas um halo maléfico vagueia no castelo de vidro - e está lá para matar. Quando os seus concorrentes começam a morrer um a um, a luta de Celaena pela liberdade torna-se numa luta pela sobrevivência e numa jornada inesperada para expor um mal antes de que este destrua o seu mundo. 




 Empréstimo falhado, nada a ver com o que eu gosto ou quero ler.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

domingo, 21 de outubro de 2018

Os meus livros #62 - Um grito de amor desde o centro do mundo (Kyoichi Katayama)





Sinopse




Sakutarô e Aki conhecem-se na escola. Ele é um jovem engenhoso e sarcástico. Ela é uma rapariga bonita e popular. O que de início é uma amizade cúmplice torna-se numa paixão arrebatadora. Um acontecimento trágico vem pôr à prova a força do amor que os une. Este é o romance japonês mais lido de todos os tempos no Japão, com mais de três milhões de exemplares vendidos. 






Tão triste, tão bom, tão lindo.