sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Também se pode amar uma mulher...

Eu amo algumas, uma em especial, que chegou à minha vida e ajudou-me a vê-la de outra maneira. Que nem sempre concorda, nem sempre é da mesma opinião, mas sempre aceita e sempre compreende. Que nunca me julga e que está sempre aqui, bem do meu lado quando é preciso. Que me olha nos olhos e me despe a alma.
A vida ensinou-me a dizer às pessoas que amo isso mesmo, que as amo. E ela, ouve-o todos os dias, mas hoje é especial, é o dia dela e quero dizê-lo aqui. Só isso, só que a amo...

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Frase da semana:

"Pela Vera ponho a mão no fogo."
Duas pessoas disseram-no em situações e momentos distintos, não a mim, mas sobre mim.
Sim... estou babada. Sou uma gaja bem sensível.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Ai...

Como acredito...


Que o teu mundo é infinito...
Um azul impossível de alcançar...

A diferença...

É que aqui há uns tempos tinha uma necessidade inexplicável de escrever. Agora tenho essa mesma necessidade, mas de viver. E faço-o tão intensamente que não seria capaz de explicá-lo através das palavras. A minha maneira de escrever não mudou, só mudou a minha maneira de sentir. Sinto mais euforicamente, esta euforia não a consigo colocar nas palavras, porque as palavras parecem-me tão pouco...

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Ainda não falei aqui dos saldos, pois não???

Sou mesmo uma desactualizada em assuntos de blogues. Os saldos... ai... os saldos. Resolvi ir em família, num domingo à tarde, peguei no moreno, no meu pai e na minha mãe e lá fomos, dar uma volta pelos saldos e lanchar no shopping. Entrei em primeiro lugar na bershka, que era a loja que estava mais perto da entrada, reparei numa peça ou outra e quando olhei para o lado estava o meu pai a apanhar a roupa do chão para a colocar no expositor. Foi aí que percebi que tinha de vir embora. Não tive saldos, mas pelo menos fomos comer um gelado.

Vera, o significado...

"Vem do latim vera, que significa verdadeiro. Não resta qualquer dúvida, ela é realmente independente, directa, verdadeira, simpática, cheia de humor e inteligente. Possui ao mesmo tempo algo de enigmático, inatingível e indecifrável! No entanto, Vera dá, compreende, aconselha e ajuda. É uma amiga leal, tão prestativa que os amigos ignoram os seus problemas, em especial os relacionados com a vida afectiva, onde a sua ambição de harmonia é excessiva."


E pensar que só me faltou "um bocadinho assim" para me chamar Ricardo Samuel...

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Enigmática? Talvez...

Já vivi na descoberta, já vivi na incerteza, já vivi na vontade de arriscar, já vivi no frio da barriga, já vivi no nervoso miudinho, já vivi na aventura, já vivi no brilho do olhar, já vivi no sonho, já vivi na adrenalina, já vivi no arrepio, já vivi na repressão, já vivi na intensidade, já vivi na respiração ofegante, já vivi no cheiro do suor e do prazer, já vivi na imprudência, já vivi na extravagância, já vivi na irreflexão, já vivi nos batimentos cardíacos.
Agora vivo aqui, na corda bamba, na linha ténue que separa a loucura da insanidade, vivo aqui no espaço que tantos procuram mas poucos conseguem alcançar. Vivo aqui, no enigma. Aqui, onde eu quero, como eu quero.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Um dia vou ter contigo, dou-te um grande abraço e montes de beijos

Com a Malena que é uma mulher do norte, como eu. E que me mandou este mimo tão lindo. Malena, também quero ser adoptada, sim?

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O segredo...


É aproveitar muito bem as happy hour que a vida nos dá.

E as minhas têm sido TÃO bem aproveitadas...

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Há músicas que não se podem esquecer


Por isso têm de passar por aqui...
Mas se fosse para descrever o meu estado de espírito tinha que cantar como a Shakira "Loca, loca, loca..."

Ai... Jasus... que saudades eu tinha vossas...

Ainda não morri (embora já tenha encarregue alguém de vos avisar caso um dia destes isso aconteça), não fui raptada por extraterrestres (se fossem jeitosos eu não me importava nada), não fugi na loucura da paixão com a minha bicicleta para Marrocos (esta cena já me passou inúmeras vezes pela cabeça) nem estive em nenhuma maratona sexual (quer dizer... ). A minha ausência foi basicamente isto: Projectos novos dão-me uma pica do caralho, é pena que me deixem tão pouco tempo para outras coisas.
Agradeço a todos os que se preocuparam comigo e com a minha ausência, vocês são lindos, mesmo e a sério.
Bem... acho que voltei. Tinha tantas saudades vossas que não imaginam.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Já vi que toda a gente escreveu sobre o que fez na passagem de ano

E vocês já sabem que gosto de ser uma gaja actualizada nestes assuntos da blogosfera. Sendo assim, fiquem a saber que no último dia do ano, depois de ter dormido quatro horas levantei-me e fui fazer 3 horas de cicling, por esta altura já devem estar a imaginar que o meu ano acabou com uma valente dor de rabo. Fui também comprar um capacete e umas luvas da cor da minha amante, porque sou uma gaja vaidosa. O meu look da passagem de ano foi o meu fantástico pijama azul que me acompanha nas melhores situações, a passagem de ano foi junto à lareira e daqueles que mais gosto. No primeiro dia do ano dormi praticamente todo o dia. No segundo, crente que sou e mesmo estando a minha companheira dos pedais doente lá me aventurei a ir estrear a minha bike nova acompanhada de vinte e tal senhores. Eu juro que pensava que eles gostavam de mim, mas não, levaram-me para uns trilhos onde tive de pedalar quase 4 horas na lama e na água. A pobrezita da minha bicicleta na volta de estreia passado meia hora já não se via onde acabava a parte cor de rosa e começava a acastanhada a cheirar mal. Tanto que já tive de a deixar a lavar. Foram tiradas algumas fotos que se me chegarem ao mail faço questão de as espetar aqui, só para vocês nos verem ás duas, lindas e aventureiras.
E por fim... Comecei o ano a sonhar acordada. E há lá coisa melhor que sonhar acordada...

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Do coração...

Hoje, em conversa com alguém surgiu o tema dos "Ses" e fiquei a refletir no assunto. Se há pessoas que sempre me irritaram são as que convivi mais de perto e que deixam ficar os "Ses" da vida para trás. "Não sei se faço, não sei se posso, não sei se digo, não sei se vou, e se... e se... e se...".
Na minha vida, os "Ses" que estão lá bem atrás foram provocados por outros e nunca por mim. Na minha vida, posso não usar muito a cabeça em situações que deveria, mas no fim, sabe bem saber que faça eu o que fizer, esteja eu onde quer que seja, é sempre de coração.
E de facto, aquela frase de perfil encaixa-me perfeitamente "Eu quero... eu posso... eu faço".

O primeiro post do ano é mais ou menos como a primeira fatia de bolo, a primeira taça de champanhe, o primeiro olhar, o primeiro beijo.

Vai sempre para alguém especial. E o meu é só isto:

Gosto de ti todos os dias.