quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Dos traumas...

Olhando assim para a página do meu blog, acho que já superei, por exemplo o trauma que tinha da neve. Trauma esse que nasceu há dois anos atrás quando nevou verdadeiramente na minha cidade. Neve, até aquele dia, era muito fixe, porque eu é que ía ter com ela, um fim de semana de vez em quando, com a desculpa de fazer sku, mas na verdade, ficava no quarto, sempre a fazer algo mais quentinho e agradável. Há dois anos atrás quando olhei pela parede vidrada do escritório estava tudo completamente branco, eu já nem conseguia saber muito bem qual era o meu carro no parque de estacionamento. Decidi ir embora, para casa, antes que o cenário pudesse ficar ainda pior, só tinha que passar no banco, para tratar de um assunto urgente da firma e podia ir de fim de semana. E aqui, começa a aventura e o trauma... consegui meter toneladas de neve dentro do meu próprio carro, caminhar na neve de sapatinhos stiletto, ficar numa subida e o carro ter de ser empurrado por uns senhores queridos que me devem ter achado ainda mais querida, não conseguir chegar a casa, apanhar boleia de uma pessoa que me fez sentir que estava a andar no kanguru do amor, aconteceu de tudo e mais um pouco naquele dia, nunca mais consegui ouvir falar em neve. Actualmente, de cada vez que entro no blog acho que isto funciona como uma espécie de terapia regressiva. Acho que estou a ficar curada...

23 comentários:

  1. Pois, imagino que tenha sido esse o dia em que tive que caminhar de códigos nos braços, abandonar a minha carrinhinha - que agora já nem existe - num qualquer lugar plano, subir uma estrada de paralelos a muito custo mesmo para não me estatelar de cara e fazer uma viagem que demorava cerca de 15 min, em 1 hora... Se for para nevar que neve quando eu ainda nem saí de casa!!

    ResponderEliminar
  2. és a minha heroína, mulher! eu cá n csg andar na neve de sapatinho trikitriki(vulgarmente conhecido por stiletto) :)
    Tb já passei por umas situações com a neve que prefiro nem recordar mas continuo a gostar dela na mesma. é uma gaja porreira lol

    ResponderEliminar
  3. Daqui a umas horas eu conto-te o que se passa por aqui com a neve... Nem quero imaginar!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Agora, agora, apetecia-me mesmo umas férias na neve. Gosto de neve, mas muito mais do sol e do verão. Neve.... mesmo só de visita :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. nesta situação, os sapatos stiletto são óptimos... para fazer sku :)

    ResponderEliminar
  6. No dia em que nevou por cá, foi o delirio... Trabalhei muito, fique atolhada no meia da neva, mas sempre que vem o frio pesso para nevar!! 8)

    ResponderEliminar
  7. olá :)


    nice blog!!
    Humm... acho ue pode resultar mesmo como terapia... mas que valente susto apanhas te tu hein?


    xoxo*

    ResponderEliminar
  8. Bem, isso é que foi uma aventura na neve!
    Um aparte, só para me meter contigo (lol). Fazes mesmo ski ou é só sku? LOL Se te enganaste a escrever, diga-se de passagem que a gralha até teve uma certa piada.. lol ;)

    Kiss

    ResponderEliminar
  9. Deve ter sido um dia complicado =|
    Eu acho giro neve lá no sitio onde já é normal... Se viesse ela ter comigo à minha cidade não iria achar piadinha nenhuma...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Quando encaras um medo, ele costuma diminuir. :)

    Beijoca.

    ResponderEliminar
  11. Se não estas curada, para la caminhas.E que grande aventura!

    ResponderEliminar
  12. um gajo saber de uma loira que agora é morena com um emmy mamário de stiletto é que não é lá muito boa terapia libidinal.

    ResponderEliminar
  13. Oh Loira se não deste um bate cu com o belo do sapatinho ao andares na neve,isto só mostra que és uma grande gaja!!
    Isso não é para qualquer uma!!!!

    ResponderEliminar
  14. Curada?!?... Nós os dois não temos cura!!! :D

    looool

    beijo grande
    Sutra

    ResponderEliminar
  15. Bolas! É que eu NEM imagino! :(
    Lamento, querida. No entanto, se isto te servir de terapia folgo em saber! =)

    ResponderEliminar
  16. Quando tenho um dia assim, ao fim do dia, se uma mosca espirra, é quando rebento...

    ResponderEliminar
  17. Margarida,
    Parece-me que nesse dia andamos em sintonia. Risos...


    Belinha,
    Sapatos trikitriki foi lindo, eu costumo chamar de sapatos à mete nojo.


    Riga,
    :)


    Túlipa,
    Passo já lá para saber novidades.


    Estrela,
    É isso mesmo, eu é que vou visitar a neve e não ela a mim. Agora vejo-a diariamente cá no blog.


    António,
    Mas consegui não fazer sku, foi lindo...


    bailarina,
    Desde esse dia, sempre que vem o frio peço para não nevar.


    Ivânia,
    :)


    Sorriso,
    A ideia era mesmo escrever sku, porque é o que sei fazer, ski não sou capaz.


    Lu!,
    Pois... é isso.


    BS of Life,
    Eu acho que estou a ficar curada, mesmo e a sério.


    Cereja,
    É a terapia regressiva, estou curada, pelo menos até voltar a nevar.


    João,
    Esse foi o melhor comentário que fizeste por cá.


    Inêzita,
    Não, não dei um bate cu. Risos...


    Sutra,
    Realmente, a cura é difícil para nós.


    guida,
    A paisagem é linda, talvez ajude.


    pink,
    Risos... achei piada a isso, é mesmo verdade. E às vezes quem paga são os que estão mais próximos e não têm culpa nenhuma, são "as moscas" desta vida.

    ResponderEliminar
  18. Armante, pá! :P A dar tombos com sapatinhos pipis! Não pode ser mais como nós, gajas normalmente desinteressantes e cair com umas galochas ou com uns sapatos Hush-Pupies, sei lá... ;))

    ResponderEliminar
  19. se o sapato for giro n se pode chamar sapato à mete nojo eheh
    bjoca

    ResponderEliminar
  20. Malena,
    Digamos que se alguém me tivesse avisado que ía nevar eu não saía de casa assim.


    Belinha,
    Risos...

    ResponderEliminar
  21. Por aqui não neva todos os meses, mas neva umas 3 ou 4 vezes no ano. Isto no sitio onde está na minha casa, porque a montanha em frente a ela está muitas mais vezes branquinha! Eu gosto muito da neve!

    ResponderEliminar
  22. Olhos Dourados,
    Cheira-me que não estamos muito longe. É só um palpite.

    ResponderEliminar

Aqui não há censura...