quinta-feira, 14 de março de 2013

Se me escreveres...

Se me segredares palavras doces ao ouvido, vais arrepiar-me, vais emocionar-me, mas um dia posso esquecer-me. Se me cantares uma música enquanto dançamos, vou seguir o teu ritmo, vou seguir o meu coração, mas um dia posso esquecer-me. Se me olhares nos olhos, me pegares na mão, me ofereceres o coração como quem dá um presente, se ficares de alma desnuda, vou sentir-te, vou apaixonar-me mais uma vez, mas um dia posso esquecer-me. Se subires ao cimo da montanha abrires os braços e gritares para o mundo aquilo que sentes vais fazer-me feliz, vais fazer-me sentir a euforia da paixão, mas um dia posso esquecer-me. Aquilo que nunca esquecerei é se me escreveres, porque se me escreveres as palavras vão ficar gravadas para sempre, num bilhete, numa impressão, num apontamento, num postal, numa dedicatória de um livro, num baú de recordações. E ainda que um dia me tenha esquecido de ti, me tenha esquecido de tudo, me tenha esquecido do mundo ao reler as tuas palavras vou sentir o mesmo, uma e outra vez, vou viver a conjugação dos sentimentos, vou ser outra vez feliz, ainda que não me lembre de ti e que invente as personagens como faço quando leio os livros, vou sentir o mesmo, como se fosse eu própria a personagem principal de um livro precioso. Porque se me escreveres o sentimento nunca morre. Se me escreveres...

32 comentários:

  1. Oh, que bonito, Vera :)

    E é por coisas assim que tu escreves que eu tenho uma paixão em ler-te :)

    ResponderEliminar
  2. E se tu um dia parares de escrever de nada serviu ter cá vindo. Beijo grande e obrigada por estas palavras.

    ResponderEliminar
  3. Vou discordar um bocadinho. Posso? Não te aborreças!

    Quando o amor nos marca fica no baú das memórias e é recordado , mesmo quando acabado.
    Se pudermos juntar a memória à escrita, melhor.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  4. a escrita sem dúvida é eterna.
    Parabéns pelo texto.

    beijinho

    ResponderEliminar
  5. QUE LINDO! És uma escritora, caramba!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  6. Ai Vera, sua linda, que arrepio.

    ResponderEliminar
  7. Lindo! Muito bem escrito, tocou-me a alma.

    ResponderEliminar
  8. É por causa destas e de outras que eu gosto de aqui vir... Lindas palavras! :D

    ResponderEliminar
  9. Está lindíssimo!! Parabéns!

    ResponderEliminar
  10. já viste que é algo tão material e imaterial ao mesmo tempo? tenho papelinhos que guardei de pequenas conversas quando era mais nova, dão-me sempre alguma nostalgia :)

    ResponderEliminar
  11. É bom quando escreves, assim podemos ver-te :)

    ResponderEliminar
  12. identifco-me bastante contigo. o que escveves toca realmente uma pessoa

    ResponderEliminar
  13. Aii Loira... Isto não se faz! Se tu paras de escrever atropelo-te com a minha bicicleta :$

    ResponderEliminar
  14. Às vezes, escreve-se na alma... :)

    Beijos, querida!

    ResponderEliminar
  15. Querida Vera, tu escreves bem! Estou aqui parada a absorver este teu texto e a pensar que há tanta gente com talento por esta blogosfera fora! Tu és uma delas!
    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar
  16. Adorei Vera. Que lindas palavras. Ainda bem que as escreveste :)
    Aproveito para te deixar a minha nova morada: http://arcodenovecores.blogspot.pt/
    Fico à espera da tua visita :)
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  17. que bonito Vera, és óptima escritora :p

    ResponderEliminar
  18. Olá Vera.
    Que texto mais lindo e tão verdadeiro.
    Beijinhos grandes.

    ResponderEliminar
  19. Naõ me ocorre escrever mais nada além de LINDO.

    Bjs

    ResponderEliminar
  20. É por isso que gosto tanto da palavra escrita: é sempre nossa, passe o tempo que passar, e seja à hora que for.

    ResponderEliminar
  21. Cada dia que passa gosto mais de te ler ;)

    ResponderEliminar
  22. É sempre revigorante ler esta loira linda.

    ResponderEliminar
  23. Uma tatuagem, daquelas que não se apagam, ou um ferro em brasa... esquecer?
    :)

    ResponderEliminar

Aqui não há censura...