segunda-feira, 19 de agosto de 2013

De Azofra, com amor (dia 4)

Hoje não foi um dia fácil, partimos bem cedo de Torres del Río mas pouco tempo depois o suporte do meu alforge partiu definitivamente, por pouco me livrei de uma valente queda porque estava a fazer uma descida de pedras e aquela porcaria meteu-se entre o pneu e o quadro da bicicleta, felizmente consegui controlar a bicicleta e parar antes de cair, depois do susto ainda tive que continuar assim até Logroño. Perdemos mais três horas por lá entre procurar lojas de bicicletas e montar o suporte novo. Hoje tínhamos estipulado como meta Santo Domingo de lá Calzada mas com a confusão da manhã estava a ficar muito tarde e como poderíamos chegar lá e não ter onde pernoitar optamos por ficar numa pequena localidade chamada Azofra. Foi a melhor opção que podíamos ter tomado, a Pilar, que cuida do albergue onde estou agora lavou a nossa roupa na máquina e ainda a secou, deixem-me contar-vos que a roupa é uma preocupação diária, uma vez que só trazemos três mudas, logo depois do banho temos que lavar a roupa à mão e estendê-la, mas no dia seguinte ainda não secou bem e tem de ser transportada no alforge junta com a restante, como podem imaginar não cheiramos propriamente bem. A Pilar lavou e secou a nossa roupa, não cobrou nada por isso, mesmo quando insistimos, entregou-nos uma roupa cheirosa e quentinha com um sorriso e uma frase "quero que todos saiam daqui para continuar O CAMIÑO felizes", só por isso, pela Pilar, agradeço os contratempos de hoje.

Queria falar-vos de sítios por onde passei, não posso deixar de vos falar da etapa Saint-Jean-Pied-de-Port a Roncevalles, subir os Pireneus pelos trilhos é qualquer coisa de espectacular, chegar lá em cima depois de 20 km a subir dos 165 mt aos 1430 é uma das melhores coisas que já fiz, e no fim daquilo 5 km sem parar a descer pedra. Não sei se foi por ser no primeiro dia, se foi por toda a paisagem ou pela dificuldade, mas tenho a sensação que nunca me vou esquecer deste sentimento. Não posso deixar de falar-vos do Alto del Perdón, mais uma subida que não vos consigo descrever para chegar lá em cima e ter uma paisagem de cortar a respiração e uma espécie de obra de arte fantástica, é lá "doide se cruza el Camiño del vento con el d las estrelas". Não posso deixar de vos tentar explicar o que é pedalar, pedalar, pedalar e de repente encontrar uma "Fuente del vino" e sim, é mesmo de vinho a fonte, acreditem que eu provei. Não posso deixar de vos tentar explicar o que é uma subida que nunca mais acaba num calor que mal nos deixa respirar e de repente encontrar uma mina, no meio do nada onde podemos descansar à sombra e beber a água melhor e mais fresca de sempre. Não posso deixar de vos contar de uma capela do século XI, abandonada no meio do nada, só com paredes e um altar cheia de fotos e de mensagens que os peregrinos lá deixam, é indescritível o que se sente ao entrar num sítio assim, tão cheio de tudo. Poderia ficar por aqui toda a noite a falar-vos de coisas que me enchem a alma, mas por hoje é só, até amanhã.


Foto do dia (que não é deste dia porque com a confusão não tirei fotos com o tablet e as da máquina fotográfica só depois de chegar a casa):

21 comentários:

  1. Acredito que esteja a ser um "caminho" inesquecível, pela surpresa, pela novidade, pelo enriquecimento, por duas mãos cheias de experiências, um coração cheio e uma mente "limpa".
    Boas viagens :-)

    ResponderEliminar
  2. Keep going :) e sempre feliz contigo!

    ResponderEliminar
  3. Apesar dos contratempos, tudo o que estás a viver supera largamente esses 'problemas' :-)
    Beijinhos e continua, força.

    ResponderEliminar
  4. Muito desafiante, mas quando chagares ao destino vai ser uma vitória :)
    Continua Vera, sempre a pedalar!

    ResponderEliminar
  5. Mulher até me arrepiei. Continuação de bom caminho.

    ResponderEliminar
  6. Essa paixão é bonita de se ver. Continuação.

    ResponderEliminar
  7. que lindo... e que força que tu tens. continua Vera :) boa noite

    ResponderEliminar
  8. Estive a gozar fds prolongado e não andei pela blogosfera, mas todos os dias penso na vossa aventura.
    Já pus a leitura e adorei mas... estou cá com uma inveja!
    Continuação de boa viagem

    ResponderEliminar
  9. realmente os contratempos tornam a viagem mais chata, mas para terminar assim com coisas boas, até se esquecem bem mais rápido :)
    Boa continuação de viagem e que agora os contratempos sejam ainda menos! ***

    ResponderEliminar
  10. força! Estou a adorar seguir a tua aventura!

    ResponderEliminar
  11. Caramba, que máximo! Esses contratempos ainda dão mais valor ao teu caminho! Força!
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  12. É mesmo lindo ver a tua garra, a tua paixão =)

    Continua.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  13. Felizmente ainda existem Pilares que ajudam de coração.
    e de coração e emoções percorres esse caminho.

    Beijinhos e boa viagem para o grupo

    ResponderEliminar
  14. Força piquena, estás quase lá ! Santiago é lindo e merece e tu és uma campeã! Beijinho!

    ResponderEliminar
  15. Até mesmo os contratempos vão razer memórias especiais... ainda há muito a percorrer e cada km vai ser algo especial e valioso para ti como pessoa... I believe in that!

    Beijo na alma xxx

    ResponderEliminar
  16. Nada na nossa vida acontece por acaso e até nas coisas menos boas encontramos motivos para sorrir.
    Estou aqui a torcer para que tudo corra bem.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  17. Tento imaginar as sensações que vais vivendo, cada dia mais perto, cada vez mais intensas. Verdade?

    ResponderEliminar
  18. Um percurso acidentado, como já devias calcular, pois é um percurso "alucinante".

    Imagino as paisagens de "cortar a respiração"!!!

    Vou espreitando-as através das tuas magníficas fotos!

    Força!

    Vais conseguir!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  19. E são emoções assim que te fazem continuar :)

    ResponderEliminar

Aqui não há censura...