quinta-feira, 5 de abril de 2012

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha...

Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

Florbela Espanca

23 comentários:

  1. Adoro este poema... trouxe-me recordações tão doces.

    Beijos poéticos :)


    (Páscoa Feliz!)

    ResponderEliminar
  2. Adorei...é lindooooo
    Bjs* querida

    ResponderEliminar
  3. Amor ou a semelhança com o padrão da loucura...

    ResponderEliminar
  4. Oh Florbela, Florbela... Se não és tu a maior poetisa de todos os tempos, quem será?

    O medo é nosso pior inimigo.
    Faz-nos perder e sofrer. Mas como lutamos contra ele?

    ResponderEliminar
  5. é verdade princesa :)
    amei este post!

    ResponderEliminar
  6. Também gosto muito deste poema...
    Um beijinho de boa Páscoa :)

    ResponderEliminar
  7. O amor vivido assim é perfeito...

    ResponderEliminar
  8. Lindo!!!

    XOXO
    GIVEAWAY NO BLOG
    http://foreverfashion-2011.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Oh pah andas tão romântica!!!!!!!
    Coisa má'linda!

    ResponderEliminar
  10. isto é tudo amor?
    uma boa Pascoa :)

    ResponderEliminar
  11. Lindo poema. Esta Florbela é fantástica, adoro-a.

    ResponderEliminar
  12. Poema lindo :)

    Quando for grande também vou escrever assim :)

    Beijito minha querida :)*

    ResponderEliminar
  13. Gosto da Florbela! Mulher apaixonada e sofrida... Já escolhi uma vez este poema para o meu canto!! :)
    Beijos, loiraça linda!

    ResponderEliminar
  14. Ela era uma mulher inteira... e sabia sê-lo!

    ResponderEliminar
  15. como eu gosto de Florbela...;) bj*

    ResponderEliminar
  16. Vera, adoro este poema... vou levar para o meu estaminé, não te importas pois não?

    1 beijinho

    ResponderEliminar
  17. Este poema faz-me recuar no tempo..

    É lindíssimo.

    Parebéns pelo blogue

    ResponderEliminar
  18. Uma das melhores poetisas de sempre...

    ResponderEliminar

Aqui não há censura...