quarta-feira, 22 de março de 2017

Que orgulho meus senhores, que orgulho

No fim de semana passado pedalei de calções pela terceira ou quarta vez este ano. Reparei, no domingo à tarde, que a marca do sol já se nota nas minhas pernas, mesmo de meias opacas. Ainda lá estava um tom moreno do verão passado e foi só sair a pedalar ao sol para acentuar as habituais marcas a meio das pernas. Que feio, pensarão vocês, que horror, dirá quem vir. Como é que consegues andar assim Loira? Perguntarão todos. Que lindas, digo eu, das marcas que me definem e que fazem parte daquilo que sou, daquilo que gosto e daquilo que faço. Que orgulho meus senhores, que orgulho, das marcas do sol na pele, dos arranhões do mato, dos picos entranhados na carne, das nódoas negras, das feridas e das cicatrizes. Que orgulho de ser o que sou, que é mais ou menos como quem diz, mais uma merda de um verão inteiro a usar calças. 

3 comentários:

  1. É um orgulho tímido, esse... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um orgulho que ainda não saiu do armário.

      Eliminar
  2. Já pensaram, vós pedalistas convictos e apaixonados, pedir para que as vossas roupas, sejam como alguns fatos de banho, aqueles que permitem que o solinho entre, não deixando qualquer marquita? Não?! Pensem nisso, sois tantos que a levantarem a vós, terá peso, por certo.

    Boas pedaladas
    :-))

    ResponderEliminar

Aqui não há censura...