quinta-feira, 30 de julho de 2015

O dia em que fugi de casa

Ainda não tinha dois anos e já eu achava que podia fazer o que bem me apetecia, fugi de casa. A minha família entrou em pânico, a minha mãe começou aos gritos, o meu pai a procurar-me, a minha avó dizem que rezava, a minha madrinha não sabia se havia de acalmar a minha mãe ou ajudar o meu pai a procurar, o meu tio agarrou a minha prima pela mão e foi na direcção oposta ao meu pai. Gritavam pelo meu nome mas eu não respondia. A minha mãe só chorava "Ai... a minha menina", "Ai... a minha filhinha". O pânico, o horror, a tragédia. Foram encontrar-me bem perto, estava no quintal da minha avó, sentada na terra a comer tomates directamente do tomateiro. 

E como é que eu sei isto tudo? Porque até hoje, quando me perguntam o que quero lanchar e eu pergunto se têm tomate, quando peço tomate ao almoço ou ao jantar, ou quando estou a comer tomate e afirmo que sim, que adoro tomate, todos me contam (outra vez) a mesma história. O meu pai continua a rir-se de cada vez que se lembra da minha cara suja de terra e de satisfação, enquanto comia os tomates da minha avó. 

Parece que sempre fui uma rebelde, houve até o dia em que fugi de casa, para poder comer tomates à vontade. 

12 comentários:

  1. ahahhhahahhahaha que historia maravilhosa.
    ja eu só fugi de casa aos 16. passei a tarde toda com um rapaz e quando cheguei a casa fiquei arrependida de não lhe ter dado um beijo. voltei a bater com a porta e so voltei 2 horas depois ja alta noite, com cara de apaixonada e estremamente indignada por a minha mae estar na cozinha a chorar e o meu pai a ligar para tudo o que era hospital. Fechei me no quarto confusa, porque nós com 16 anos temos sempre razão :) ah espetei lhe um beijo, fizemos declarações de amor, mas com a vergonha, nunca mais lhe liguei, nem ele a mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uau... que história fantástica. Só é triste nunca mais se terem falado.

      Eliminar
  2. :)))))) há muito que eu sabia que és uma gaja de tomates...

    ResponderEliminar
  3. Todos temos aquele momento em que nos apetece fugir :)

    ResponderEliminar
  4. Que belo momento de liberdade e de rebeldia, quem me dera, sempre fui tão... tão... "cumpridora de regras", lol! Sinto falta de momentos destes :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, eu não sabia propriamente o que estava a fazer, era demasiado pequena.

      Eliminar
  5. Agora riem-se claro =P
    Mas a sério, deve ter sido genial lol =P

    Beijocas

    ResponderEliminar

Aqui não há censura...